• Página Inicial
  • Biografia
  • Posts RSS

Oh, Grande Mãe

Grande Mãe

Uma estrela que longe brilha,
Sua luz ainda forte então me guia
Ao venusto horizonte do luar,
Propício desejo para te amar.

Sentado na beira do mar,
Lenhas na fogueira à incendiar,
Sentindo sua extensa emoção
Me cobrindo de proteção.

A voz do vento à chamar,
Para um encontro me levar.
Ver o esplendor da noite cair,
A grande estrela de fogo surgir.

Me aqueces com seu sorrir,
O reflexo na água me pedir:
Paz, amor, admiração e respeito,
Te prometo com a mão no peito.

Por tudo que sutilmente já me fez,
Repetirei, não apenas uma vez:
Grande Mãe, dona de todos os fatos,
A ti sempre serei demasiadamente grato.

7 comentários:

Nathiele disse...

Perfeito, Brow!
Lindo mesmo! Que inspiração, hen!
xD

Nanna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Yuri Brah disse...

E agradecer, de fato, sempre se deve.
Muito bonito, e nossa... parabéns pela estruturação da poesia, não sei como tem gente que consegue organizar assim as idéias.
Abraço

Drix Brites disse...

bela poesia de gratidão... ;)

WillianFerraz [BANANADA] . disse...

Muito bom .

Sandinha disse...

Gostei muito do texto, da estrutura, mas fiquei triste porque a imagem não abriu aqui, não entendi porque.

Com excessão dos primeiros dois versos e dos dois ultimos versos, o texto tem um som perfeitamente musical, eu li em voz alta uma vez e dá um ritmo bacana...

Gostei de verdade, passarei aqui mais vezes, abraço forte!

Luciana Brites disse...

lindo primo..cada dia vc me surpreende mais com suas inspirações....

Postar um comentário