• Página Inicial
  • Biografia
  • Posts RSS

Meu conforto, meu...


Olho para o horizonte,
Ouço o vento chamar,
Onde achas que estou?
Estarei no mesmo lugar,
Aguardando silenciosamente
A próxima estrela passar,
Enquanto a noite me guia
Pelo sorriso do luar,
Que me arrasta fora daqui
Sutilmente me deixa em paz.
Volta à mente a imagem
Perdida do que já se passou,
Um momento do rio à margem
De quando eramos crianças
Pulavamos, gritavamos,
Nos sujavamos, sem saber,
Sem se preocupar, vamos
Vivendo na melodia, arder
No fogo da energia, sonhar
Com o vento que tudo levou,
Em conforto se transformou.

5 comentários:

bruna disse...

Nossa..0.0

Alexandre disse...

Tava inspirado heim brother. SWU feeling?

A.B.Ferreira disse...

humm... muito bom... adorei o poema

Anônimo disse...

/Lorena says:
Ce ta bem inspiradoo hein!
adorei!

Keteriane de Oliveira dos Santos disse...

Uma breve nostalgia, confeso que teu poema me libertou brevemente do caos que eu vivia, agradeço a inspiração, e continue escrevendo com o coração... saudades...

Postar um comentário